Posts

Instituto Ideal lança edição 2015 do estudo sobre o mercado de geração distribuída fotovoltaica no Brasil

O Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal) publicou a segunda edição do estudo sobre o mercado brasileiro de geração distribuída fotovoltaica (FV). O propósito é compreender como se desenvolve o setor e identificar os desafios no processo de conexão à rede de micro e minigeradores FV. O levantamento traz resultados de uma pesquisa realizada com instaladores de todo o país.

O estudo foi realizado por meio de questionário online respondido por empresas cadastradas no Mapa de Fornecedores do programa América do Sol (www.americadosol.org/fornecedores), do Instituto Ideal. Os instaladores responderam a 24 questões divididas em quatro seções: o perfil dos instaladores – com base na experiência de 2014 -, a relação com as distribuidoras, os desafios no processo de conexão à rede e os exemplos positivos das concessionárias.

Em relação ao desenvolvimento do mercado no país, o estudo mostra a existência de um grande número de empresas novas que não finalizaram nenhuma instalação – 54% dos instaladores respondentes. Quanto aos preços praticados no país, foi levantado o valor médio de R$ 8,81/Wp para sistemas de até 5 kWp – o que é praticamente igual, em termos absolutos, ao observado no anterior. No entanto, considerando a desvalorização do real e a inflação no período, estima-se que houve uma redução real de 6,5% no preço médio dos sistemas FV de pequena escala.

Em relação ao processo de conexão à rede, os principais desafios apontados pelos fornecedores foram atrasos, falta de conhecimento da equipe técnica da distribuidora e problemas na fatura de energia conforme regulamentação do sistema de compensação de energia elétrica (net metering), estabelecido no país a partir da Resolução Normativa (REN) 482/2012 da ANEEL. No entanto, uma grande evolução foi constatada na duração do processo de conexão. O tempo médio de seis meses e uma semana em 2013 reduziu para quatro meses e três semanas em 2014.

“O estudo permite acompanhar o desenvolvimento do mercado, ano a ano, e sugerir quais pontos precisam uma maior atenção para que o relacionamento entre consumidor, instalador e distribuidora flua”, afirma a gerente de projetos do Ideal, Paula Scheidt.

O estudo foi produzido pelo Instituto Ideal, com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.
Acesse o estudo completo ‘O mercado de geração distribuída fotovoltaica – Edição 2015’.

Recife supera meta do projeto 50 Telhados

Recife, em Pernambuco, alcançou esta semana o objetivo do projeto 50 Telhados, com 130 kWp de potência total instalada. Coordenado pelo Instituto Ideal e executado localmente por instaladores fotovoltaicos; a empresa parceira na capital é a Satrix Energias Renováveis. Ao todo, sete cidades no país já superaram a meta do projeto que encerra em dezembro.

O 50 Telhados foi lançado com o propósito de divulgar a geração distribuída a partir da energia fotovoltaica. Em cada uma das 32 cidades participantes, as empresas instaladoras tem até o final deste ano, para instalar 50 telhados FV de 2 kWp ou 100 kWp de potência total instalada. Com isso, a geração anual estimada ficaria em torno de 130 MWh em cada cidade. O objetivo inicial do Instituto Ideal era implementar o projeto em pelo menos 20 cidades brasileiras durante o ano de 2014, mas esta meta já foi ultrapassada em julho do ano passado. Acesse o mapa aqui e acompanhe o andamento do projeto.

Estudo sobre mercado de geração distribuída fotovoltaica

O Instituto Ideal publica nesta quinta-feira (13) um estudo sobre o mercado brasileiro de geração distribuída fotovoltaica (FV). O levantamento traz resultados de uma pesquisa realizada com instaladores do setor de todo o país. A intenção é compreender como está se desenvolvendo esse mercado, assim como identificar os desafios no processo de conexão à rede de micro e minigeradores FV.

Participaram da pesquisa, realizada por meio de questionário online, 90 empresas cadastradas no Mapa de Fornecedores do Programa América do Sol, do Instituto Ideal. As instituições responderam, entre agosto e setembro de 2014, a 22 questões divididas em quatro seções: o perfil dos instaladores (com base na experiência no ano de 2013), a relação com as distribuidoras, os desafios no processo de conexão à rede e os exemplos positivos das distribuidoras.

Entre os dados levantados está o preço médio cobrado pelas empresas para a instalação de um sistema FV de pequeno porte em 2013. Para as instalações de microgeradores com até 5kWp , o valor médio cobrado pelas 35 empresas que responderam essa questão é R$ 8,69/Wp.

No relacionamento com as distribuidoras, o estudo mostra que a maioria das empresas (64%) enfrentou alguma dificuldade no processo de instalação de um mini ou microgerador FV. Das 58 empresas que relataram dificuldades, 90% afirmam que elas causaram atrasos no cronograma inicial de instalação de um sistema FV conectado à rede.

“A partir do estudo podemos perceber que muitos instaladores e distribuidoras estão em um processo de aprendizagem e adequação ao novo mercado proporcionado pela REN 482/2012”, afirma a gerente de projetos do Ideal, Paula Scheidt.

O estudo foi produzido pelo Instituto Ideal, com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.  A fim de facilitar futuras comparações de dados, o Instituto Ideal prevê uma nova edição da pesquisa, que deverá ser realizada no primeiro semestre de 2015.

Mais sobre a mini e microgeração

A geração distribuída fotovoltaica vem crescendo desde a entrada em vigor da resolução normativa 482 da Aneel, que estabeleceu os procedimentos gerais para a procedimentos gerais para a conexão à rede de mini e microgeradores. De acordo com o órgão, até o dia 10 de novembro de 2014, eram 234 sistemas fotovoltaicos conectados à rede.

:::: Confira o estudo completo “ O mercado brasileiro de geração distribuída fotovoltaica”.

Mais informações:
Gabrielle Bittelbrun
Assessoria de Comunicação
Instituto Ideal
(48) 3234-1757

50 telhados com 28 cidades participantes

A cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro, é a mais nova integrante do 50 telhados. Com isso, o projeto alcança um total de 28 municípios, superando em oito a meta estabelecida pelo Instituto Ideal para 2014.

Pela proposta, cada cidade participante precisa ter pelo menos 50 telhados fotovoltaicos em 24 meses (ou 100 kWp de potência total), instalados por empresas cadastradas junto ao Ideal. A execução das instalações em Petrópolis ficará a cargo da empresa Solstício Energia, que trabalha em parceria com a Cegeo.

50 telhados foi criado em 2013, pela empresa mineira Econova. Em novembro do ano passado, o Instituto Ideal assumiu a coordenação do projeto. A intenção era atingir pelo menos 20 participantes, o que totalizaria mil telhados solares até 2015. Ao que tudo indica, a meta será superada.

Como participar

Qualquer empresa de engenharia e instalação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica pode participar como empresa executora, basta atender a alguns critérios e conseguir a aprovação do Ideal. Instituições públicas e prefeituras também podem contribuir, reforçando o apoio ao projeto em canais de comunicação com os cidadãos, por exemplo.

::::: Saiba mais sobre o 50 telhados.A cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro, é a mais nova integrante do 50 telhados. Com isso, o projeto alcança um total de 28 municípios, superando em oito a meta estabelecida pelo Instituto Ideal para 2014.

Pela proposta, cada cidade participante precisa ter pelo menos 50 telhados fotovoltaicos em 24 meses (ou 100 kWp de potência total), instalados por empresas cadastradas junto ao Ideal. A execução das instalações em Petrópolis ficará a cargo da empresa Solstício Energia, que trabalha em parceria com a Cegeo.

50 telhados foi criado em 2013, pela empresa mineira Econova. Em novembro do ano passado, o Instituto Ideal assumiu a coordenação do projeto. A intenção era atingir pelo menos 20 participantes, o que totalizaria mil telhados solares até 2015. Ao que tudo indica, a meta será superada.

Como participar

Qualquer empresa de engenharia e instalação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica pode participar como empresa executora, basta atender a alguns critérios e conseguir a aprovação do Ideal. Instituições públicas e prefeituras também podem contribuir, reforçando o apoio ao projeto em canais de comunicação com os cidadãos, por exemplo.

::::: Saiba mais sobre o 50 telhados.A cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro, é a mais nova integrante do 50 telhados. Com isso, o projeto alcança um total de 28 municípios, superando em oito a meta estabelecida pelo Instituto Ideal para 2014.

Pela proposta, cada cidade participante precisa ter pelo menos 50 telhados fotovoltaicos em 24 meses (ou 100 kWp de potência total), instalados por empresas cadastradas junto ao Ideal. A execução das instalações em Petrópolis ficará a cargo da empresa Solstício Energia, que trabalha em parceria com a Cegeo.

50 telhados foi criado em 2013, pela empresa mineira Econova. Em novembro do ano passado, o Instituto Ideal assumiu a coordenação do projeto. A intenção era atingir pelo menos 20 participantes, o que totalizaria mil telhados solares até 2015. Ao que tudo indica, a meta será superada.

Como participar

Qualquer empresa de engenharia e instalação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica pode participar como empresa executora, basta atender a alguns critérios e conseguir a aprovação do Ideal. Instituições públicas e prefeituras também podem contribuir, reforçando o apoio ao projeto em canais de comunicação com os cidadãos, por exemplo.

::::: Saiba mais sobre o 50 telhados.

Dez novas cidades integram o 50 telhados

O 50 telhados terá a adesão de dez novas cidades, que vão investir em energia solar fotovoltaica. Com isso, o projeto alcança 27 municípios, superando em sete a meta para 2014, estabelecida pelo Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal).

As novas cidades participantes são: Chapada dos Guimarães (MT); Salvador (BA); Lauro de Freitas (BA); Camaçari (BA); Feira de Santana (BA); Mata de São João (BA); Lençóis (BA), Cairu (BA), Novo Hamburgo (RS) e Porto Alegre (RS).

Pelo projeto, cada cidade precisa ter pelo menos 50 telhados fotovoltaicos em 24 meses (ou 100 kWp de potência total), instalados por empresas participantes. A execução das instalações nesses municípios ficará a cargo das empresas SonnenBauhaus, na Chapada dos Guimarães, Axitec, nos municípios baianos, e Energia Própria, nas cidades gaúchas.

O 50 telhados foi criado em 2013, pela empresa mineira Econova. Em novembro do ano passado, o Instituto Ideal assumiu a coordenação do projeto. A intenção era atingir pelo menos 20 participantes, o que totalizaria mil telhados solares até 2015.

Ao que tudo indica, a meta será superada. “Em seis meses, o Instituto Ideal superou a meta de cidades que tinha para o ano”, comemora Paula Scheidt, gerente de projetos do Instituto Ideal.

Com as novas integrantes, o Estado da Bahia conquista o maior número de participantes do 50 telhados, com sete cidades, sendo seguido pelo Rio Grande do Sul, com cinco cidades.

Como participar

Qualquer empresa de engenharia e instalação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica pode participar como empresa executora, basta atender a alguns critérios e conseguir a aprovação do Ideal. Instituições públicas e prefeituras também podem contribuir, reforçando o apoio ao projeto em canais de comunicação com os cidadãos, por exemplo.

Outras informações na página do 50 telhados.

Novos municípios do 50 telhados

Cidade                                               Empresa executora
Chapada dos Guimarães (MT)            SonnenBauhaus
Cairu (BA)                                            Axitec
Camaçari (BA)                                     Axitec
Feira de Santana (BA)                         Axitec
Lauro de Freitas (BA)                          Axitec
Lençóis (BA)                                        Axitec
Mata de São João (BA)                        Axitec
Salvador (BA)                                       Axitec
Novo Hamburgo (RS)                            Energia Própria
Porto Alegre (RS)                                 Energia PrópriaO 50 telhados terá a adesão de dez novas cidades, que vão investir em energia solar fotovoltaica. Com isso, o projeto alcança 27 municípios, superando em sete a meta para 2014, estabelecida pelo Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal).

As novas cidades participantes são: Chapada dos Guimarães (MT); Salvador (BA); Lauro de Freitas (BA); Camaçari (BA); Feira de Santana (BA); Mata de São João (BA); Lençóis (BA), Cairu (BA), Novo Hamburgo (RS) e Porto Alegre (RS).

Pelo projeto, cada cidade precisa ter pelo menos 50 telhados fotovoltaicos em 24 meses (ou 100 kWp de potência total), instalados por empresas participantes. A execução das instalações nesses municípios ficará a cargo das empresas SonnenBauhaus, na Chapada dos Guimarães, Axitec, nos municípios baianos, e Energia Própria, nas cidades gaúchas.

O 50 telhados foi criado em 2013, pela empresa mineira Econova. Em novembro do ano passado, o Instituto Ideal assumiu a coordenação do projeto. A intenção era atingir pelo menos 20 participantes, o que totalizaria mil telhados solares até 2015.

Ao que tudo indica, a meta será superada. “Em seis meses, o Instituto Ideal superou a meta de cidades que tinha para o ano”, comemora Paula Scheidt, gerente de projetos do Instituto Ideal.

Com as novas integrantes, o Estado da Bahia conquista o maior número de participantes do 50 telhados, com sete cidades, sendo seguido pelo Rio Grande do Sul, com cinco cidades.

Como participar

Qualquer empresa de engenharia e instalação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica pode participar como empresa executora, basta atender a alguns critérios e conseguir a aprovação do Ideal. Instituições públicas e prefeituras também podem contribuir, reforçando o apoio ao projeto em canais de comunicação com os cidadãos, por exemplo.

Outras informações na página do 50 telhados.

Novos municípios do 50 telhados

Cidade                                               Empresa executora
Chapada dos Guimarães (MT)            SonnenBauhaus
Cairu (BA)                                            Axitec
Camaçari (BA)                                     Axitec
Feira de Santana (BA)                         Axitec
Lauro de Freitas (BA)                          Axitec
Lençóis (BA)                                        Axitec
Mata de São João (BA)                        Axitec
Salvador (BA)                                       Axitec
Novo Hamburgo (RS)                            Energia Própria
Porto Alegre (RS)                                 Energia PrópriaO 50 telhados terá a adesão de dez novas cidades, que vão investir em energia solar fotovoltaica. Com isso, o projeto alcança 27 municípios, superando em sete a meta para 2014, estabelecida pelo Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal).

As novas cidades participantes são: Chapada dos Guimarães (MT); Salvador (BA); Lauro de Freitas (BA); Camaçari (BA); Feira de Santana (BA); Mata de São João (BA); Lençóis (BA), Cairu (BA), Novo Hamburgo (RS) e Porto Alegre (RS).

Pelo projeto, cada cidade precisa ter pelo menos 50 telhados fotovoltaicos em 24 meses (ou 100 kWp de potência total), instalados por empresas participantes. A execução das instalações nesses municípios ficará a cargo das empresas SonnenBauhaus, na Chapada dos Guimarães, Axitec, nos municípios baianos, e Energia Própria, nas cidades gaúchas.

O 50 telhados foi criado em 2013, pela empresa mineira Econova. Em novembro do ano passado, o Instituto Ideal assumiu a coordenação do projeto. A intenção era atingir pelo menos 20 participantes, o que totalizaria mil telhados solares até 2015.

Ao que tudo indica, a meta será superada. “Em seis meses, o Instituto Ideal superou a meta de cidades que tinha para o ano”, comemora Paula Scheidt, gerente de projetos do Instituto Ideal.

Com as novas integrantes, o Estado da Bahia conquista o maior número de participantes do 50 telhados, com sete cidades, sendo seguido pelo Rio Grande do Sul, com cinco cidades.

Como participar

Qualquer empresa de engenharia e instalação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica pode participar como empresa executora, basta atender a alguns critérios e conseguir a aprovação do Ideal. Instituições públicas e prefeituras também podem contribuir, reforçando o apoio ao projeto em canais de comunicação com os cidadãos, por exemplo.

Outras informações na página do 50 telhados.

Novos municípios do 50 telhados

Cidade                                               Empresa executora
Chapada dos Guimarães (MT)            SonnenBauhaus
Cairu (BA)                                            Axitec
Camaçari (BA)                                     Axitec
Feira de Santana (BA)                         Axitec
Lauro de Freitas (BA)                          Axitec
Lençóis (BA)                                        Axitec
Mata de São João (BA)                        Axitec
Salvador (BA)                                       Axitec
Novo Hamburgo (RS)                            Energia Própria
Porto Alegre (RS)                                 Energia Própria

Projeto Megawatt Solar, apoiado pelo Ideal, é inaugurado dia 27

Nesta sexta-feira (27), será inaugurada a maior usina solar integrada a um edifício público da América Latina, em Florianópolis-SC. O Projeto Megawatt Solar, desenvolvido pela Eletrosul, com o apoio técnico da UFSC e do Instituto Ideal, tem a potência instalada de 1 megawatt-pico (MWp). Com isso, a usina produz energia suficiente para o consumo de mais de 1,8 mil pessoas, ou o equivalente ao abastecimento de 540 residências.

São 4,2 mil módulos solares que convertem a radiação solar em energia elétrica, instalados na cobertura do edifício-sede e nos estacionamentos, em uma área de 10 mil metros quadrados.

O Instituto Ideal contribuiu para a estratégia de comercialização da energia que será gerada no Megawatt Solar e ajudou no processo de viabilização da usina. Para o presidente do Instituto Ideal, Mauro Passos, o projeto é um marco para a difusão da instalação de geradores fotovoltaicos integrados à arquitetura de edificações urbanas no Brasil.

“A nossa ideia é mostrar a potencialidade e a viabilidade técnica e econômica da energia solar no meio urbano para toda a América Latina e o projeto da Eletrosul é o modelo que faltava para convencer governantes e investidores nessa tecnologia”, comenta Passos.

O Megawatt Solar foi financiado pelo banco de fomento alemão KfW, em um investimento total de R$ 9,5 milhões, além de receber apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

Para marcar a inauguração da usina, haverá uma apresentação artística, produzida pela companhia italiana Studio Festi, que envolve dança, acrobacias aéreas e projeções de imagens sobre um telão d´água. Para conferir o show que começa às 19h, no dia 27, basta comparecer à sede da Eletrosul em Florianópolis. A intenção é estimular a reflexão sobre a importância das alternativas sustentáveis também no setor energético.

Pouco antes, a partir das 16h, será feita a cerimônia de inauguração com empregados da Eletrosul, convidados e imprensa.
A energia gerada pelo Megawatt Solar será escoada para a rede elétrica local e comercializada a consumidores livres – como grandes empresas e shoppings – por meio de leilões.

Ideal tem certificação para quem adota eletricidade solar

Empresas, instituições públicas e privadas e proprietários de edificações que consumirem um valor mínimo anual de eletricidade solar (que varia conforme a quantidade total de energia consumida), ou que tenham pelo menos 50% de seu consumo elétrico vindo de fonte solar podem solicitar o Selo Solar.

A certificação do Instituto Ideal, criada em 2012, é um reconhecimento para quem adota essa fonte renovável. Saiba mais sobre o Selo Solar.

Espetáculo “Dedicar Energia à Energia” – (gratuito)
Data: sexta-feira (27/06)
Horário: 19 horas
Duração: 45 minutos
Local: área externa da sede da Eletrosul (Rua Deputado Antonio Edu Vieira, 999 – Pantanal)Nesta sexta-feira (27), será inaugurada a maior usina solar integrada a um edifício público da América Latina, em Florianópolis-SC. O Projeto Megawatt Solar, desenvolvido pela Eletrosul, com o apoio técnico da UFSC e do Instituto Ideal, tem a potência instalada de 1 megawatt-pico (MWp). Com isso, a usina produz energia suficiente para o consumo de mais de 1,8 mil pessoas, ou o equivalente ao abastecimento de 540 residências.

São 4,2 mil módulos solares que convertem a radiação solar em energia elétrica, instalados na cobertura do edifício-sede e nos estacionamentos, em uma área de 10 mil metros quadrados.

O Instituto Ideal contribuiu para a estratégia de comercialização da energia que será gerada no Megawatt Solar e ajudou no processo de viabilização da usina. Para o presidente do Instituto Ideal, Mauro Passos, o projeto é um marco para a difusão da instalação de geradores fotovoltaicos integrados à arquitetura de edificações urbanas no Brasil.

“A nossa ideia é mostrar a potencialidade e a viabilidade técnica e econômica da energia solar no meio urbano para toda a América Latina e o projeto da Eletrosul é o modelo que faltava para convencer governantes e investidores nessa tecnologia”, comenta Passos.

O Megawatt Solar foi financiado pelo banco de fomento alemão KfW, em um investimento total de R$ 9,5 milhões, além de receber apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

Para marcar a inauguração da usina, haverá uma apresentação artística, produzida pela companhia italiana Studio Festi, que envolve dança, acrobacias aéreas e projeções de imagens sobre um telão d´água. Para conferir o show que começa às 19h, no dia 27, basta comparecer à sede da Eletrosul em Florianópolis. A intenção é estimular a reflexão sobre a importância das alternativas sustentáveis também no setor energético.

Pouco antes, a partir das 16h, será feita a cerimônia de inauguração com empregados da Eletrosul, convidados e imprensa.
A energia gerada pelo Megawatt Solar será escoada para a rede elétrica local e comercializada a consumidores livres – como grandes empresas e shoppings – por meio de leilões.

Ideal tem certificação para quem adota eletricidade solar

Empresas, instituições públicas e privadas e proprietários de edificações que consumirem um valor mínimo anual de eletricidade solar (que varia conforme a quantidade total de energia consumida), ou que tenham pelo menos 50% de seu consumo elétrico vindo de fonte solar podem solicitar o Selo Solar.

A certificação do Instituto Ideal, criada em 2012, é um reconhecimento para quem adota essa fonte renovável. Saiba mais sobre o Selo Solar.

Espetáculo “Dedicar Energia à Energia” – (gratuito)
Data: sexta-feira (27/06)
Horário: 19 horas
Duração: 45 minutos
Local: área externa da sede da Eletrosul (Rua Deputado Antonio Edu Vieira, 999 – Pantanal)Nesta sexta-feira (27), será inaugurada a maior usina solar integrada a um edifício público da América Latina, em Florianópolis-SC. O Projeto Megawatt Solar, desenvolvido pela Eletrosul, com o apoio técnico da UFSC e do Instituto Ideal, tem a potência instalada de 1 megawatt-pico (MWp). Com isso, a usina produz energia suficiente para o consumo de mais de 1,8 mil pessoas, ou o equivalente ao abastecimento de 540 residências.

São 4,2 mil módulos solares que convertem a radiação solar em energia elétrica, instalados na cobertura do edifício-sede e nos estacionamentos, em uma área de 10 mil metros quadrados.

O Instituto Ideal contribuiu para a estratégia de comercialização da energia que será gerada no Megawatt Solar e ajudou no processo de viabilização da usina. Para o presidente do Instituto Ideal, Mauro Passos, o projeto é um marco para a difusão da instalação de geradores fotovoltaicos integrados à arquitetura de edificações urbanas no Brasil.

“A nossa ideia é mostrar a potencialidade e a viabilidade técnica e econômica da energia solar no meio urbano para toda a América Latina e o projeto da Eletrosul é o modelo que faltava para convencer governantes e investidores nessa tecnologia”, comenta Passos.

O Megawatt Solar foi financiado pelo banco de fomento alemão KfW, em um investimento total de R$ 9,5 milhões, além de receber apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

Para marcar a inauguração da usina, haverá uma apresentação artística, produzida pela companhia italiana Studio Festi, que envolve dança, acrobacias aéreas e projeções de imagens sobre um telão d´água. Para conferir o show que começa às 19h, no dia 27, basta comparecer à sede da Eletrosul em Florianópolis. A intenção é estimular a reflexão sobre a importância das alternativas sustentáveis também no setor energético.

Pouco antes, a partir das 16h, será feita a cerimônia de inauguração com empregados da Eletrosul, convidados e imprensa.
A energia gerada pelo Megawatt Solar será escoada para a rede elétrica local e comercializada a consumidores livres – como grandes empresas e shoppings – por meio de leilões.

Ideal tem certificação para quem adota eletricidade solar

Empresas, instituições públicas e privadas e proprietários de edificações que consumirem um valor mínimo anual de eletricidade solar (que varia conforme a quantidade total de energia consumida), ou que tenham pelo menos 50% de seu consumo elétrico vindo de fonte solar podem solicitar o Selo Solar.

A certificação do Instituto Ideal, criada em 2012, é um reconhecimento para quem adota essa fonte renovável. Saiba mais sobre o Selo Solar.

Espetáculo “Dedicar Energia à Energia” – (gratuito)
Data: sexta-feira (27/06)
Horário: 19 horas
Duração: 45 minutos
Local: área externa da sede da Eletrosul (Rua Deputado Antonio Edu Vieira, 999 – Pantanal)

Ideal inaugura primeiro microgerador apoiado pelo Fundo Solar

O primeiro microgerador a ser beneficiado pelo Fundo Solar, projeto do Ideal para incentivo financeiro a sistemas fotovoltaicos, será inaugurado na terça-feira, dia 10 de junho, na cidade de Santa Cruz do Sul (RS). Os vinte módulos solares de capacidade total de 4,8 kWp foram instalados em uma clínica médica e irão gerar cerca de 5.900 kWh por ano. Com essa geração, que equivale ao consumo médio anual de duas famílias de quatro pessoas, o local será autossuficiente em energia.

Dos R$ 27 mil investidos, R$ 3,2 mil vieram do Fundo, uma iniciativa do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal).

A energia de baixo impacto para o meio ambiente, aliada à possibilidade de economia a médio e longo prazo, foram as principais motivações que levaram o proprietário da clínica, Ronei Pappen, a adotar a eletricidade solar. “Minha conta de luz era bastante alta. A fotovoltaica é uma alternativa para reduzir a conta e sem comprometer nada em termos de meio ambiente”, explica o médico.

Pappen soube do Fundo pela própria empresa instaladora. Depois, solicitou os recursos, enviando a documentação prevista nas diretrizes do projeto do Ideal. Ele atendeu aos quesitos e, agora, será o primeiro do país a contar com um equipamento com o apoio do Fundo. “Fico orgulhoso de ser o pioneiro em um projeto que vai estimular muitas pessoas em relação à fotovoltaica”, reforça o médico, para quem o país deveria contar com outros incentivos, como a redução da carga tributária.

O responsável pelo Fundo Solar, Peter Krenz, ressalta os benefícios da instalação em um edifício comercial. “Como é um local frequentado por muitos moradores, aos poucos a população vai perceber as vantagens da eletricidade solar e o interesse em ter seu próprio sistema tende a aumentar”, afirma. Krenz explica ainda que, por meio das informações repassadas pelos solicitantes do projeto, foi possível identificar os desafios do mercado fotovoltaico no país e elaborar soluções junto aos tomadores de decisões.

A cerimônia de inauguração do sistema será realizada no dia 10 de junho, a partir das 16h, em um breve evento para autoridades, convidados e imprensa.

O Fundo Solar é realizado pelo Ideal, em parceria com o Grünel Strom Label (Selo de Eletricidade Verde da Alemanha) e conta com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

O sistema fotovoltaico de Pappen é também o primeiro de Santa Cruz do Sul no projeto 50 Telhados, de iniciativa do Ideal e executado localmente pela empresa Solled. O objetivo do 50 Telhados é instalar 50 sistemas fotovoltaicos de 2kWp ou 100 kWp de potência em até dois anos nas cidades participantes. Atualmente o projeto é executado em 19 municípios brasileiros.

Mais sobre o Fundo

O Fundo é voltado para consumidores residenciais e proprietários de comércio e pequena indústria. Para receber o apoio entre R$ 1 mil e R$ 5 mil, o sistema precisa ter até 5 kWp e estar conectado à rede. A solicitação deve ser feita antes da instalação e o tempo para a aprovação varia de caso a caso. Os recursos do projeto vêm dos clientes do GSL, na Alemanha.

Outras informações e as diretrizes do projeto na página do Fundo.

Assessoria de Comunicação – Instituto Ideal
Gabrielle Bittelbrun
[email protected] primeiro microgerador a ser beneficiado pelo Fundo Solar, projeto do Ideal para incentivo financeiro a sistemas fotovoltaicos, será inaugurado na terça-feira, dia 10 de junho, na cidade de Santa Cruz do Sul (RS). Os vinte módulos solares de capacidade total de 4,8 kWp foram instalados em uma clínica médica e irão gerar cerca de 5.900 kWh por ano. Com essa geração, que equivale ao consumo médio anual de duas famílias de quatro pessoas, o local será autossuficiente em energia.

Dos R$ 27 mil investidos, R$ 3,2 mil vieram do Fundo, uma iniciativa do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal).

A energia de baixo impacto para o meio ambiente, aliada à possibilidade de economia a médio e longo prazo, foram as principais motivações que levaram o proprietário da clínica, Ronei Pappen, a adotar a eletricidade solar. “Minha conta de luz era bastante alta. A fotovoltaica é uma alternativa para reduzir a conta e sem comprometer nada em termos de meio ambiente”, explica o médico.

Pappen soube do Fundo pela própria empresa instaladora. Depois, solicitou os recursos, enviando a documentação prevista nas diretrizes do projeto do Ideal. Ele atendeu aos quesitos e, agora, será o primeiro do país a contar com um equipamento com o apoio do Fundo. “Fico orgulhoso de ser o pioneiro em um projeto que vai estimular muitas pessoas em relação à fotovoltaica”, reforça o médico, para quem o país deveria contar com outros incentivos, como a redução da carga tributária.

O responsável pelo Fundo Solar, Peter Krenz, ressalta os benefícios da instalação em um edifício comercial. “Como é um local frequentado por muitos moradores, aos poucos a população vai perceber as vantagens da eletricidade solar e o interesse em ter seu próprio sistema tende a aumentar”, afirma. Krenz explica ainda que, por meio das informações repassadas pelos solicitantes do projeto, foi possível identificar os desafios do mercado fotovoltaico no país e elaborar soluções junto aos tomadores de decisões.

A cerimônia de inauguração do sistema será realizada no dia 10 de junho, a partir das 16h, em um breve evento para autoridades, convidados e imprensa.

O Fundo Solar é realizado pelo Ideal, em parceria com o Grünel Strom Label (Selo de Eletricidade Verde da Alemanha) e conta com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

O sistema fotovoltaico de Pappen é também o primeiro de Santa Cruz do Sul no projeto 50 Telhados, de iniciativa do Ideal e executado localmente pela empresa Solled. O objetivo do 50 Telhados é instalar 50 sistemas fotovoltaicos de 2kWp ou 100 kWp de potência em até dois anos nas cidades participantes. Atualmente o projeto é executado em 19 municípios brasileiros.

Mais sobre o Fundo

O Fundo é voltado para consumidores residenciais e proprietários de comércio e pequena indústria. Para receber o apoio entre R$ 1 mil e R$ 5 mil, o sistema precisa ter até 5 kWp e estar conectado à rede. A solicitação deve ser feita antes da instalação e o tempo para a aprovação varia de caso a caso. Os recursos do projeto vêm dos clientes do GSL, na Alemanha.

Outras informações e as diretrizes do projeto na página do Fundo.

Assessoria de Comunicação – Instituto Ideal
Gabrielle Bittelbrun
[email protected] primeiro microgerador a ser beneficiado pelo Fundo Solar, projeto do Ideal para incentivo financeiro a sistemas fotovoltaicos, será inaugurado na terça-feira, dia 10 de junho, na cidade de Santa Cruz do Sul (RS). Os vinte módulos solares de capacidade total de 4,8 kWp foram instalados em uma clínica médica e irão gerar cerca de 5.900 kWh por ano. Com essa geração, que equivale ao consumo médio anual de duas famílias de quatro pessoas, o local será autossuficiente em energia.

Dos R$ 27 mil investidos, R$ 3,2 mil vieram do Fundo, uma iniciativa do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal).

A energia de baixo impacto para o meio ambiente, aliada à possibilidade de economia a médio e longo prazo, foram as principais motivações que levaram o proprietário da clínica, Ronei Pappen, a adotar a eletricidade solar. “Minha conta de luz era bastante alta. A fotovoltaica é uma alternativa para reduzir a conta e sem comprometer nada em termos de meio ambiente”, explica o médico.

Pappen soube do Fundo pela própria empresa instaladora. Depois, solicitou os recursos, enviando a documentação prevista nas diretrizes do projeto do Ideal. Ele atendeu aos quesitos e, agora, será o primeiro do país a contar com um equipamento com o apoio do Fundo. “Fico orgulhoso de ser o pioneiro em um projeto que vai estimular muitas pessoas em relação à fotovoltaica”, reforça o médico, para quem o país deveria contar com outros incentivos, como a redução da carga tributária.

O responsável pelo Fundo Solar, Peter Krenz, ressalta os benefícios da instalação em um edifício comercial. “Como é um local frequentado por muitos moradores, aos poucos a população vai perceber as vantagens da eletricidade solar e o interesse em ter seu próprio sistema tende a aumentar”, afirma. Krenz explica ainda que, por meio das informações repassadas pelos solicitantes do projeto, foi possível identificar os desafios do mercado fotovoltaico no país e elaborar soluções junto aos tomadores de decisões.

A cerimônia de inauguração do sistema será realizada no dia 10 de junho, a partir das 16h, em um breve evento para autoridades, convidados e imprensa.

O Fundo Solar é realizado pelo Ideal, em parceria com o Grünel Strom Label (Selo de Eletricidade Verde da Alemanha) e conta com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

O sistema fotovoltaico de Pappen é também o primeiro de Santa Cruz do Sul no projeto 50 Telhados, de iniciativa do Ideal e executado localmente pela empresa Solled. O objetivo do 50 Telhados é instalar 50 sistemas fotovoltaicos de 2kWp ou 100 kWp de potência em até dois anos nas cidades participantes. Atualmente o projeto é executado em 19 municípios brasileiros.

Mais sobre o Fundo

O Fundo é voltado para consumidores residenciais e proprietários de comércio e pequena indústria. Para receber o apoio entre R$ 1 mil e R$ 5 mil, o sistema precisa ter até 5 kWp e estar conectado à rede. A solicitação deve ser feita antes da instalação e o tempo para a aprovação varia de caso a caso. Os recursos do projeto vêm dos clientes do GSL, na Alemanha.

Outras informações e as diretrizes do projeto na página do Fundo.

Assessoria de Comunicação – Instituto Ideal
Gabrielle Bittelbrun
[email protected]

ANEEL retira obrigatoriedade do DSV para microgeradores

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) publicou no último dia 26 de março um despacho que tira a obrigatoriedade do uso do Dispositivo de Seccionamento Visível (DSV) em sistemas de microgeração distribuída. O órgão nacional entendeu que os inversores já são o suficiente para garantir a segurança da conexão dos microgeradores fotovoltaicos à rede.

A medida é mais um incentivo para alavancar a produção de energia fotovoltaica em residências, pequenas empresas e indústrias. Afinal, na prática, é uma exigência a menos para quem quiser adotar a eletricidade solar.

::::: Confira o despacho número 720/2014.

Projeto 50 telhados chega a mais 13 cidades

50telhados_hans

O projeto 50 telhados ganhou a adesão de mais 13 cidades brasileiras, que estarão comprometidas em impulsionar a eletricidade solar.

Com isso, faltam apenas sete para o Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na A

mérica Latina (Ideal) atingir a meta inicial de 20 cidades para o ano 2014.

Em apenas três meses de coordenação do projeto pelo Ideal, foram conquistados os seguintes municípios: Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Ribeirão Preto (SP), São José do Rio Preto (SP), Rancharia (SP), Cuiabá (MT), Búzios (RJ), Rio de Janeiro (RJ), Niterói (RJ), Florianópolis (SC), Santa Cruz do Sul (RS), Venâncio Aires (RS) e Lajeado (RS).

Pelo projeto, cada cidade precisa ter pelo menos 50 telhados fotovoltaicos em 24 meses (ou 100 kWp de potência total), instalados por empresas participantes. A intenção do Ideal é que pelo menos 20 cidades integrem o projeto ao longo deste ano.

A execução das metas dos municípios citados ficará a cargo das empresas Solarize, Solar Energy, Araxá Solar, Prátil, Brasil Choice e Solled. O Ideal fará o acompanhamento e divulgação. A busca inicial das empresas para participar do desafio surpreendeu.

“Ficamos surpresos com a grande procura de empresas instaladoras querendo levar o 50 Telhados para suas cidades. Isso é um excelente sinal da força do projeto para alavancar o mercado fotovoltaico no país”, conta a gerente de projetos do Ideal e responsável pelo 50 telhados, Paula Scheidt Manoel.

O CEO da Solar Energy, Hewerton Elias Martins, também acredita no fortalecimento desse mercado. “A implantação em tantas cidades consolidará a geração de energia fotovoltaica como uma opção viável e sustentável para sociedade”, afirmou Martins.

Pensando nisso, a empresa Brasil Choice, de Rancharia, manteve a meta ousada de 50 instalações, mesmo com uma população estimada de 29,7 mil habitantes, segundo o IBGE. Rancharia e as demais cidades contribuirão para se chegar ao objetivo do Ideal de ter pelo menos mil telhados solares instalados no Brasil até 2015. Nesse proce

Hans Rauschmayer, da Solarize, acredita que a própria ideia de se ter uma energia limpa será um facilitador para os objetivos serem superados. “Parte da motivação de instalar um sistema solar é a preocupação com o meio ambiente, o que é reforçado pela ideia de estar entre os 50 primeiros. Percebe-se que há um orgulho que faz a diferença na hora de decidir sobre o tipo de energia que será usada”, afirma.sso, ganham visibilidade cidades participantes, que se tornam referência no setor, e as próprias empresas.

O projeto tem o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ.

Como participar

50 telhados foi criado em 2013, pela empresa mineira Econova. Qualquer empresa de engenharia e instalação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede elétrica pode participar como empresa executora, basta atender a alguns critérios e conseguir a aprovação do Ideal. Instituições públicas e prefeituras também podem participar, reforçando o apoio ao projeto em canais de comunicação com os cidadãos, por exemplo.

::::: Outras informações no site do 50 telhados.

Projeto 50 telhados
Cidade                                           Empresa executora
Campo Grande (MS)                      Solar Energy
Curitiba (PR)                                   Solar Energy
Ribeirão Preto (SP)                        Solar Energy
São José do Rio Preto (SP)           Solar Energy
Rancharia (SP)                               Brasil Choice
Cuiabá (MT)                                   Solar Energy
Búzios (RJ)                                     Solar Energy, Solarize e Prátil
Rio de Janeiro (RJ)                        Solar Energy, Solarize e Prátil
Niterói (RJ)                                     Prátil e Solarize
Florianópolis (SC)                          Araxá Solar
Santa Cruz do Sul (RS)                  Solled
Venâncio Aires (RS)                       Solled
Lajeado (RS)                                  Solled

Ideal assume Projeto 50 Telhados

O Instituto Ideal assumiu nesta sexta-feira (29) o projeto “50 telhados”, que tem como objetivo ampliar o número de sistemas de eletricidade solar instalados no país. A meta do projeto é instalar, no mínimo, 50 telhados solares, em casas e pequenas empresas, em cada cidade participante até 2015. O Ideal espera ter 20 cidades brasileiras envolvidas no projeto, o que somaria um total de mil telhados solares. O “50 telhados” foi criado pela empRENEX - Marcel Streicherresa mineira Econova que passa a responsabilidade para o Ideal em cerimônia durante a Feira Internacional de Energias Renováveis – Renex 2013.

As 50 unidades de micro e minigeração fotovoltaica conectadas à rede de distribuição devem ser capazes de gerar cerca de 130 MWh/ano. A quantidade de construções com o sistema pode ser menor, caso se chegue a 100 kW de potência instalada. A execução local do projeto será feita por empresas especializadas na instalação de sistemas de geração fotovoltaica, sob a coordenação do Ideal. Elas serão responsáveis por alcançar a meta em cada cidade participante.

O intuito é trazer um incentivo a mais para as empresas buscarem novos clientes e despertar o interesse de consumidores para a eletricidade solar. Além disso, as empresas participantes terão sua imagem associada ao “50 telhados”, que será divulgado pelo Instituto Ideal em seus canais de comunicação, com o público em geral, e em eventos. As empresas interessadas em aderir ao projeto podem ter mais informações na página do “50 telhados”. Órgãos públicos, universidades, associações comerciais e industriais e bancos também podem se tornar apoiadores e contribuir para a disseminação da ideia.

O projeto tem o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da GIZ.
Na foto ao lado, de Marcel Streicher, o presidente do Ideal, Mauro Passos, recebe o projeto criado pela Econova, representado por Gustavo Buiatti (à esquerda).

Como surgiu o 50 telhados

A primeira cidade contemplada pelo 50 telhados foi Uberlândia, que já conseguiu bater a meta de potência instalada para o ano de 2013. A implementação do projeto na cidade mineira foi finalista do Prêmio Sebrae Minas de Práticas Sustentáveis deste ano. Com o apoio de empresas do setor, a proposta já se estendeu a Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Goiânia (GO), Natal (RN), Fortaleza (CE) e Campinas (SP).

Outras informações sobre o “50 telhados” na página do projeto.