Instalado no edifício da ECOFYS, na Alemanha

Sistema FV conectado à rede sobre uma edificação, na Alemanha. Crédito: Paula Scheidt

Os sistemas fotovoltaicos integradas às edificações urbanas e conectadas à rede oferecem diversas vantagens para o sistema elétrico de um país, muitas delas relacionadas à redução de custos e que ainda não são consideradas ou quantificadas. Podemos citar:

  • redução de perdas por transmissão e distribuição de energia, já que a eletricidade é consumida onde é produzida;
  • redução de investimentos em linhas de transmissão e distribuição;
  • baixo impacto ambiental;
  • fornecimento de maiores quantidades de eletricidade nos momentos de maior demanda (ex.: o uso de ar-condicionado é maior ao meio-dia no Brasil, quando há maior incidência solar e, consequentemente, maior geração elétrica solar);
  • a não exigência de área física dedicada; e
  • rápida instalação devido à sua grande modularidade e curtos prazos de instalação, aumentando assim a geração elétrica necessária em determinado ponto ou edificação.

Fonte: RÜTHER, Ricardo. Edifícios Solares Fotovoltaicos. Florianópolis: LABSOLAR, 2004.

Custos da Energia Solar

 

Ao instalar um sistema fotovoltaico conectado à rede elétrica em sua casa, você economizará na sua conta de luz já no primeiro mês de funcionamento. O quanto irá economizar dependerá da potência do sistema FV instalado, porém, você não precisará mais se preocupar com os aumentos da tarifa de energia por, no mínimo, 25 anos, que é o tempo de garantia fornecido por grande parte dos fabricantes de módulos fotovoltaicos.

Em 2015, o preço médio cobrado por instaladores no Brasil foi de R$ 8,58 por Watt pico (Wp) instalado, segundo  estudo anual do Instituto IDEAL chamado “O mercado brasileiro de geração distribuída fotovoltaica – Edição 2016”.  Isso significa que, se para atender à demanda energética de sua casa você precisar de dois quilowatt pico (2kWp), você terá que investir, em média, R$ 17.160,00.

Contudo, o indicado é conversar com diferentes empresas, pois a variação do preço no país ainda é grande. Para sistemas de até 5 kWp, os valores levantados pelo IDEAL na pesquisa variavam de R$ 5,0/Wp a R$ 10/Wp. No entanto, a maior frequência foi verificada entre R$ 7/Wp e R$ 9/Wp.

Fonte: IDEAL, 2016.

Apesar de apresentar uma queda em relação às estimativas feitas nos últimos anos, esse valor ainda é superior ao praticado em outros países. “Em relação aos valores internacionais, o preço no Brasil ainda é elevado, principalmente em comparação à Alemanha. Para sistemas de até 100 kWp, por exemplo, é pago no Brasil cerca de 76% a mais do que nesse país”, aponta o estudo.

No mercado internacional, esse valor vem caindo consideravelmente nos últimos anos. A maior queda nos preços ocorreu entre 2008 e 2009, passando de valores altos como US$ 3,5 por watt em 2008, para US$ 2 por watt em dezembro de 2009.